sexta-feira, janeiro 18, 2008

Preciso-te!

Preciso que me digas e me tornes a dizer, que me repitas de novo e de novo outra vez, que ainda me queres.. Tantas vezes quantas forem possíveis até o chão não sair mais do sítio, as palavras não se cruzarem mais entre as cordas vocais e a música não se interromper por tectos falsos e sons desfeitos. Nos teus dias, na tua vida, nas tuas formas de querer e de dançar. No teu quarto, no meu, na rua, na marquise..
Preciso que me abraces e me tornes a abraçar, até os braços ficarem roxos, o rosto dorido e a voz seca de tanto te chamar para junto a mim.
Preciso que me páres e me faças ficar. Quando nada fizer sentido, virar as costas, encolher os ombros e bater com a porta. E como é a minha porta que está a bater, preciso ainda mais!
Preciso que me olhes e me faças querer. Não desistir de ti, não te afastar de mim. E mesmo que os sabores não sejam mais os mesmos, a verdade diferente de ontem, os corpos separados pelo amanhã, apenas querer!
Preciso que combatas até ao fim. E quando o fim chegar, se ainda estivermos aqui, preciso que me agarres e me digas "Não chores. Anda cá!"!

Preciso de ti!

2 comentários:

Lau disse...

prostrada perante tamanha doçura...'E quando o fim chegar, se ainda estivermos aqui, preciso que me agarres e me digas "Não chores. Anda cá!"!'...que fim mais feliz...

também eu te preciso*

inocência perdida disse...

"Preciso que me pares e me faças ficar!" e eu preciso de te roubar esta frase linda! Achas que posso minha querida?
As vezes parece que lês a alma do mundo naquilo que escreves...se calhar lês!;)