domingo, janeiro 20, 2008

Há dias assim, em que só me apetece arrancar-te esse sorriso estúpido da cara.
Não quero ser simpática. E quando perceberes o quanto não te suporto, vais-te afastar de tudo o que está à minha volta.
Não sei muito da tua vida e o que sei já me diz tudo o que és: NADA! Mesquinha e sem limites! Desdobras-te e mil e um planos e manipulas o mundo dos outros!
É deplorável a forma como te vejo! Irritantemente descontrável a forma como te olho!
No fundo consegui perceber que não quero ser igual a ti!
Hei-de ter sempre o coração perto da boca, enquanto tu terás a consciência pesada! Hei-de acordar todos os dias com mil e uma sensações a escorrerem-me pela pele, porque choro, grito, extravaso o pior que há em mim, mas sei de cor a vida que me transpira por dentro. E tu?! És feliz, enquanto excomungas as gargalhadas dos outros e julgas as suas alegrias?
Uma pessoa sonsa! E não passas disso!

Sim, não gosto de ti, NADA!

1 comentário:

pedro meneses disse...

fico curioso em relação a tal a quem isto se destina...um texto deveras...rancoroso?humm

isso faz mal!!