sábado, janeiro 12, 2008

Adeus

Serão sempre infinitas as formas de te querer.
Só mais um bocadinho.. respiração sobre respiração, olhos nos olhos, minhas mãos nas tuas. Peito cheio. Tão cheio de ti. Procurar-te do outro lado do quarto. Encontrar-te. Deitar-te sobre tudo o que sou. Sentir tudo o que és.

Só mais um bocadinho.. adormecer acordada. Ter-te. Continuar a ter-te. Sempre..

Serão sempre infinitas as formas de voltar para os teus braços..

Envolvo-me. Até ao último segundo. O tempo corre, célula contra célula, minuto sobre minuto.

Acabou!

Olha-me: são as tuas marcas na minha pele, desidratada, pupilas dilatadas, punhos cerrados. O teu silêncio nos meus olhos, inchados, cegos, de não te ver. Será o teu cheiro no meu corpo, quente, degolado por tudo o que me prometeste ser. A tua ausência nas minhas pernas, estáticas, irritantemente estáticas sem ter para onde ir desta vez. Será a tua partida na minha boca, a apagar o teu travo que ainda ficou.

A dois passos do infinito..
A um do Adeus!

5 comentários:

bruxinha disse...

'Serão sempre infinitas as formas de voltar para os teus braços'...
Como tu consegues transmitir sentimentos...Como tu despoletas arrebatadoramente aquele aperto no coração de emoção a cada palavra consumida pelo coração -mais do que com os olhos!
Perfeito, como sempre:)
Uma beijoca grandinha minha lindinha:p*

Bia disse...

já dizia o David Fonseca: "adeus, não afastes os teus olhos dos meus.."

a tua escrita?
sempre bela, como tu
um beijinho, mafalda*

marta. disse...

:$
escreves magnificamente!

Sandro disse...

Mas, sempre que me quiseres, se precisares de mim...

Chama-me...
GRITA-ME...
...
chama-me...

Artur Moura Queirós disse...

A intensidade das palavras advinha a igualmente intensa capacidade de sentir, em que cada célula explode à passagem da recordação de um amanhã que não aconteceu.

De explosão em explosão até à lágrima que contém o ultimo sorriso...:)

Gostei muito de ler este texto.