terça-feira, janeiro 08, 2008

No meio da estrada

É inaudível a música sem o teu corpo para dançar. Dolorosas as horas sem estar à tua espera. As mãos estão secas sem a tua luz..
Estou no meio da estrada contigo à minha frente. Os carros passam. É estridente a forma como batem!
Mas os carros só esbarram uma vez..
Eu, tenho de começar de novo, todos os dias..

Talvez devesse ter ficado no passeio!

5 comentários:

Pedro Meneses disse...

porque temer tanto cair..?se a causa vale a pena, se ha certezas daquilo que se pretende..cai-se as vezes necessárias...sei lá..nao se fica a chorar o facto de se ter caido, pensa-se numa maneira de conseguir o que se pretende...

maudlin disse...

Às vezes os carros esbarram mais que uma vez...No entanto, começamos sempre uma e outra e outra vez todos os dias x'D mas a isso chama-se VIDA e é tão bom [mesmo quando é mau].


mo-tu*

tahistis disse...

no meio da estrada tens sempre mais opções.
esbarrar? amor sabes tão bem como eu que isso é uma constante da nossa vida. esbarramos em tudo e mais alguma coisa, até em coisas insignificantes que nunca imaginamos ser possível.
no fim tudo isso vai valer a pena, aliás já vale, porque cada começo, cada novo dia é um acumular de tudo o que já vivemos.
e apesar das coisas más, é bom poder ter mais um novo dia


gosto.t xD

beijinho best.a

bruxinha disse...

Abre os ouvidos às melodias que se fazem mudas no compasso dos dias. Aproveita os minutos sem nada esperar, porque o que vem de surpresa ainda sabe melhor receber. Molha as mãos da luz que se te irradia da pele.
Continua assim. No meio da estrada.Se é esse meio que te irá fazer valorizar o que és e não o que querem que sejas, deixa-te ficar assim. Os carros passam.Batem. Dói. Mas não matam. Magoam e o que magoa passa. Acredita. E vale sempre a pena (re)começar. SEMPRE!

Uma beijoca do tamanha do mundo, minha desaparecida linda:)*

Artur Moura Queirós disse...

A ousadia de sentir sabendo que a pele sente sempre as brisas e os ventos, é pertença dos que vagueiam entre carros, conscientes de que por trás de cada acidente vive a memória do prazer da viagem...:)

Encantado com este blog...:)