quarta-feira, dezembro 26, 2007

Ainda te oiço a ir embora..
Esqueceste-te das respostas atropeladas na garganta.
Perguntas repetidas ... Maldito silêncio!

8 comentários:

maudlin disse...

Às vezes o silêncio é mesmo ensurdecedor...


Mas, desta vez, espero que "ele" te traga a clarividência das respostas que não são ditas, apenas sentidas. E estas são exactamente as que nos ficam aprisionadas na garganta e mais fundo ainda...mais muito mais.



simples mas bonito
gosto-te*

tahistis disse...

por vezes o silêncio esmaga tudo o resto que existe.
hoje, que as palavras deixem de se atropelar

beijinho

Bia disse...

ás vezes, é mais fácil responder com silêncio do que com palavras (embora o silêncio seja doloroso...)

um beijinho mafa*

inocência perdida disse...

"Diz se é perigoso a gente ser feliz!"

bruxinha disse...

Aquele silêncio que teima em gritar bem alto aquilo que teimamos muitas vezes não querer escutar. Insiste. Que as perguntas se repitam uma e outra vez e outras tantas mais. Um dia ele quebra. E as respostas deixam-se relembrar nas gargantas:)*

telmy disse...

por vezes o silencio é tão constrangedor :s *

Bruno disse...

Sabes como se resolvem os nós na garganta? Com um brinde e um copo na festa de Natal da faculdade...

Só para aligeirar mesmo...

Acho incrível como, em três simples linhas consegues colocar uma intensidade tão grande no texto...

É bom ser-se tão intenso... Mas cuidado, porque quanto mais intensa fores, em cada momento da tua vida, mais exposta e susceptível ao sofrimento vais estar...

Deixando-me de filosofias (and getting back to work), espero q esteja tudo bem, Clarinha... Mesmo.

Beijinho e Bom 2008

Lau disse...

Tira o ruído do bater da porta...rebusca nas lembranças os sorrisos...é a única forma meu amor. Cair e levantar - porque sim. Toma a minha mãozinha...

Gosto-te imensamente*