sábado, maio 26, 2007

Ordinary day

"Há quanto tempo já esqueci
Porque fiquei longe de ti"



Já não me lembro porque me doi o peito. Porque não oiço o bater dos corações em métricas desmesuradas contempladas por ritmos cardíacos em forma de amor!
Já não me lembro..
Queria saber onde as esqueci: as palavras!
Tambem não me lembro..
Deve ser por isso que me doi o peito! Fiquei sem elas.(E fiquei sem ti).

Hoje, pela primeira vez, lembrei-me.


vinte'seis.

10 comentários:

Escorpiana Explosiva disse...

muito legal o q escreveu isso são coisas q acontecem comnosco mais muitas vezes fazemos quetão de não ver.

Utopic disse...

Fazem-nos sempre isso, quando se vao embora levam-nos as palavras e deixam-nos dores de peito que nao percebemos pq existem. É bem injusto. *

Português Suave disse...

Hoje também me lembrei porque me esqueci das palavras mas, felizmente, não foi por razões menos claras.
Espero que elas te voltem, com aroma a doce e toque de veludo *

Lauxinha disse...

ha coisas que nao sao para nos lembrarmos quando queremos
mas para nos irmos lembrando
:)

beijinho

S. disse...

Podes esquecer o porquê de as dizer, as palavras. Esquecer aquilo que não queres lembrar e aquilo que queres e o tempo te vai roubando. Mas não esqueces, e que bom que é, como fazer cantar os corpos vazios que já foram outrora as letras conjugadas. As palavras, essas vibram em ti, lembrando-te porque é que hoje é o teu dia.

[Hoje já podes esquecer.]

soul_traces disse...

É melhor procurarmos a capacidade de substituir as más lembranças por aquelas que nos são mais favoráveis.
E eu sei que tu nunca te vais esquecer das palavras nem da bonita forma como as usas =)
Beijo grande linda*

o alquimista disse...

Tem um encantador aroma o teu espaço...


Beijinho

viagens na minha terra disse...

como dói ficar sem alguém......

telmy disse...

Este post ta' fantastico :\

ines (meia leca) disse...

nao me canso de ler est post.


revejo me em cada palavra tua.

e as palavras que eu perdi, são as q nnca mais ouvi.
delas, restam os ecos estridentes que o meu coraçao faz e q me fazem desejar mais q nnca a morte para a saudade.


(desabafos. "se nada diss, é porque nd tinha a dizer"... ja dizia bernardo soares)


de ti, minha qerida, guardo a tua boa gargalhada. és parte do "analgésico" para a dorzinha de peito. *