segunda-feira, maio 28, 2007

Apocalypse das nossas vidas


Há uma expressão idiota na cara e tu dizes-me 'que tristeza'!
Vou deixar de ter tempo para te perceber. Procurar-te na inércia onde sucumbes. Abraçar-te no vácuo que me deixaste.
Foi isso. Só isso que me deixaste. O vácuo onde nadam os teus olhos por nao saberem mais o que querem. E não, não te faças de forte. Estás sem força! Parado a três segundos do meu nariz à espera que alguem te puxe para trás porque tu não queres recuar.
Mas quatro segundos depois só ficou o vazio.. Estás lá na mesma, eu sei! Porque não consegues preencher-te nem na embrieguez onde alucinas os melhores momentos da tua vida.

Morres! Todos os dias deixas-te morrer um metro a mais do fundo do poço. Inflinges a maior das dores a ti mesmo só porque não sabes perdoar.
Serás como os quadros pendurados em casa da minha avó. Relíquias! Mas nem a máquina do tempo te vai devolver a juventude que te esgotava a pele fazendo-te nascer de novo e de novo outra vez.
Acabou!
Saltaram-te os últimos minutos de vida enquanto te preocupavas em estar mais cinco segundos longe de mim. Rebentaste cada uma das veias ao som de uma balada fúnebre como as da terra do Sr Abel.
Não quiseste saber. Eu tambem não..
Resta o vácuo.
Não resistimos ao Apocalypse das nossas vidas! Fomos curto-circuitos interrompidos. Hoje, não somos nada!


Foi bom conhecer-te. Espero que não tenha doído!

6 comentários:

Natalie Afonseca disse...

Olá!
Hoje decidi percorrer outros blogs, e a teia prendeu-se aqui!
Gostei do que li e vi!
Principalmente da citação de Fernando Pessoa, o meu poeta preferido......a minha citação preferida!! :)
Gosto muito de palavrar!
**

Pedro disse...

Ai!

Aposto que esse tu não merecia sequer os cantos de uma unha acabada de cortar de um dos teus dedos mindinhos dos pés.

Ele que se dane (: Vive tu.

Escorpiana Explosiva disse...

muito legal a imagem e o q escreveu também.

Ana disse...

Grande coragem que demonstras neste post. Está revoltado, mas também bastante expressivo. Fazes bem, não fiques À espera de algo que nunca mais vem.

Um abraço.

Sandrine disse...

Sente o silêncio e deixa que ele te guie.. Olha-o nos olhos e escolhe o teu caminho.
beijinho*

Sandro disse...

A dor desse conhecer alguém é terrivel...
"Amar" assim é... perder-nos de nós a cada metro mais que se percorre!
Mas quando se ama... fazer o quê?!

Um beijo