segunda-feira, dezembro 04, 2006

Je


Devo dar demasiado valor à palavras. Histórias e filmes de cinderela 'para sempre' encantados.
Talvez seja mesmo a eterna romântica, idealista, onde o mundo dos sonhos não cabe nem na palma da mão.
Trabalho cada acento ao pormenor e adormeço a imaginar as mirabolantes histórias que me adoçam o coração sem que encha a almofada de água salgada.

Nunca percebi muito bem porquê, mas, devia ter os meu treze anos e chavam-me de insensível. Devia ser por jogar à bola nos intervalos e ter as manias de Maria Rapaz. Já não sabia onde tinha deixado as barbies e o 'Amor de Perdição', na altura, não era o meu livro favorito.
Agora já não jogo à bola e (quase) sempre que vou ao cinema, choro no fim. A minha perdição são as palavras e o meu amor são os teus olhos que se encostam nos meus acendendo a luz que se apaga no escuro.
Já não me chamam insensível e corro o risco de me fecharem entre bolas de sabão que vao estoirando a cada passo que me apróximo de ti.

Às vezes, até sou lamechas!

2 comentários:

}}cleopatra{{ disse...

Em poucos anos, fizeste um longo caminho e um processo de amadurecimento, tornou-te uma pessoa muito sensível.
Como vês, a insensíbilidade de que te acusavam... foi apenas passageira!
E quem é que nessa idade não gosta de jogar á bola nos intervalos?
Eu adorava...!

Beijo soprado

soul_traces disse...

A sensibilidade é um dom. Continua-te a perder tao bem nas palavras. Que o teu amor continue a iluminar por entre a escuridao.
As bolas de sabão, essas...vão estar sempre ao teu lado. fazendo-se e desfazendo-se. ms sempre contigo:)
beijinhux***