domingo, novembro 12, 2006

Limite

Peguei-me desprevinida nos bairros imundos da insegurança, do pessimismo, da dor que me rasga o peito com aquela fúria de quem não me vai deixar dormir, e se conseguir, ao acordar vou tê-la ao meu lado a despertar as angústicas que me trituram o peito em mil pedaços.
E quando ele quer doer, ele doi. Da forma mais ingrata e penosa, fazendo soluçar em mim todas as remeniscências que se avizanham desenrolar, de novo.
Corto os lábios com a raiva que não se solta da boca pra fora e quando se solta, faz-me cortar o coração largando-o a cem mil metros do chão.
Batem as portas. Caiem as casas. Desfazem-se os muros. As crianças choram. As mulheres gritam. E o mundo vai-se afastando das nossas vidas. Sim, porque nós continuamos lá. E ele parte partindo-nos em mil pedaços.
Está um frio descomunal que me vai gelando os sentidos prolongando a terrível dor que se retarda e lentamente vai ficando.
Hoje apetece-me mandar tudo pro inferno. O céu azul, as borboletas, os primeiros encontros e as paixões de adolescência. Tenho um piano de rodinhas às costas que me vai curvando num beco sem fim, e tendo rodinhas e não andando tambem a alma se curva e vai acabando em qualquer lado, talvez aos pés do lixo de onde veio.
Hoje está tudo feio. Tudo é feio. E as minhas mãos não acompanham a velocidade do que sinto e quero dizer.
As folhas estão mortas, as pedras estão sujas e o sol terrivelmente feio. A pele é áspera e os desejos são escabrosos. Tenho 8 segundos de emoções a boiar em mim, rezando em presses sem fim para que elas se afoguem em qualquer lado bem loge de todos os outros órgãos que ainda me dão a pouca força de coordenar os movimentos, ou pelo menos, faze-los mexer.
O meu limite vai chegando e com ele o fim.
Que venha.
Que venha rápido e com a fúria que me faz rasgar o pouco da alma que ainda ficou.

Hoje o mundo é preto.











Ps: Eu avisei que ia doendo ...

3 comentários:

Rita/Jamila disse...

Desconheço os factores que te levam a dizer que "Hoje o mundo é preto"

Se te servir como alento, todos nós temos dias em que o mundo se configura da forma como disseste...

A nossa tarefa é tentar fazer com que sejam cada vez menos os dias em que nos levam a esse "Limite" tao indesejado...

(beijinhos "filhota ;) )

Té § [Pi]menta =) disse...

OH AMOR! pq t apetece mandar tudo pro inferno? manda antes tudo para o ceu, q é bem mais fresquinho! :') n sei pq estás assim, provavelmente estás no teu limite... :S acontece! há que levantar a cabeça e pensar em tudo o de bom que já nos foi acontecendo! e s precisares d alguma coisa, just call me!u know i'll be there! :) * bjoooo minha pussy *

Anónimo disse...

Até quando as palavras se atropelam numa fúria de sentidos revoltos... Quando os dedos cospem desejos naufragados na realidade, medos corporizados nas horas que se arrastam, a negritude de um ou outro eclipse solar... Até quando a dor espreita nos 8 segundos que segregas nestas páginas... Há uma harmonia viva irrompendo da intensa actividade sentimental do teu bonito coraçãozinho. Quase se consegue tocar... A tua mágoa, a tua alegria, os teus sonhos... De tanta vida que lhes sopras aos ouvidos, de tanto de ti que deixas por aqui.

Senti saudades de te encontrar por aqui.