domingo, novembro 05, 2006

É aqui.




Uma flor
Uma pequena flor
Que eu colhi
Só a pensar
Em ti.


Conhecias-me o corpo tão bem. E com o corpo todos os órgãos e mecanismos que fazem acelerar qualquer processo parcialmente regular. Não precisaste de te esforçar para conhecer, foste conhecendo seguindo as linhas do mapa que fazem jus ao ex líbris da Bíblia sentimental. Foste extravasando todas as borboletas que iam colidindo em cada traço que me cobria a pele nua que fervia, e não havia colisão que resistisse ao beijo que te calava a face.
Agitavas-me os cabelos, pintavas-me os olhos com os dedos. E entre as mãos e os braços que me envolvem, deixei-me cair como um novelo que se vai desenrolando ao encontrar o seu sítio.
É aqui. Contigo.

4 comentários:

Português Suave disse...

Há sempre tanto sentimento, por aqui. Acho que me fui habituando a abastecer este meu depósito vazio do combustível, tão rico, que aqui depositas.
Ele pintava-te os olhos e tu pintas as palavras*

Murmúrio Histérico disse...

perfeito está este! *

Té § [Pi]menta =) disse...

:) por mais simples que seja cada gesto que façamos, é sempre a pensar neles! "uma flor, uma pequena flor, que eu colhi, so a pensar em ti!" :)

é aqui.com eles! :) e isso faz-nos tão bem! =]

continua a escrever assim... inspiro-me sempre que venho aqui! * :)

beijooo minha pussy lindaaaaa * * *

soul_traces disse...

Às vezes, com subtileza, consegue-se tudo aquilo que nunca se imaginou. Consegue-se tudo aquilo que se sonha. Com colisões, agitações e coisas tais, alcança-se – mais dia menos dia – a tranquilidade de um refúgio que se encontra na pele de outro alguém. Deixa-te desenrolar nesse teu cesto que te acolhe como se fosses esse novelo. Lá. Com ele.