sexta-feira, setembro 03, 2010

Segredos meus

Ontem, enquanto me embalava nas últimas noites de Verão, dava ao vivo este clássico, para mim, sempre de Natal e pensei: há uma espécie de dor em carne viva nesta música. Ao mesmo tempo um toque magistral de qualquer coisa que me arrepia. Um ingrediente raro que alimenta a dor e a saudade, o prazer e a melancolia, um embrulho catatónico capaz de obedecer a um sorriso parvo ou esvair-se numa catadupa sem fim.

1 comentário:

mademoisellejoanne disse...

essa musica é simplesmente linda!! podemos agarrar o verao sff? nao quero que acabe....