domingo, abril 12, 2009

I'm looking up not looking down

Somos o motor de arranque dos nosso próprios dias, e, quando nos esquecemos de ligar o motor, o mundo pára!
As casas, as ruas, os relógios, paralisam na memória das nossas células até ao dia em que decidimos ligar as luzes, carregar no botão e, sem hora nem destino marcados, tudo se movimenta outra vez.

É mecânica a doutrina das nossas vidas. O mundo começa e acaba em menos de dois segundos! Enchemos as almofadas de água salgada, atiramos pianos pelas janelas, vemos meia lua, tocamos em meia pele e acabamos por achar não viver nada por inteiro.
E o ciclo repete-se, como um artista de circo, fazemos malabarismo com os nossos dias mas o espectáculo é sempre o mesmo no dia seguinte.

Cansados da vida de malabaristas, o circo é para quem não tem casa e o ciclo é o mesmo dia após dia!

É então que viramos a esquina só para não nos cruzarmos. Vamos para Norte por saber que vão para Sul, de rato e gato brincamos outra vez, com as células do nosso corpo, agora já em movimento, e a memória cristalizada no tempo onde ficou, lá ao longe, a saudade.

De motor já ligado, até há espaço para fazer batota. Espreita-se por entre os dedos fingindo que não se vê, que o coração está adormecido e não há um jardim zoológico às cambalhotas no estômago!
As borboletas já não chegam e eu faço de conta que não gosto...





Tento ter a força p'ra levar o que é meu...

2 comentários:

Rui disse...

"...Sei que às vezes vai também um pouco de nós" :) *

anaraqueli disse...

desculpa a invasão! mas achei este post lindo...genuíno em cada palavra, em cada metáfora.

continua a expressar-te assim, com puro sentimento :)