sábado, maio 19, 2007

Não me venham falar!

Não me venham falar de amor!
Do sangue desenfreado a circular nas veias que nos faz apanhar o comboio até ao fim do mundo e voltar na manhã seguinte.
Do relógio parado em prateleiras inuteis enquanto os segundos congelam-se em eternidades que nunca chegam ao fim da linha.
Em odes filosofais que saltam do banco de jardim quando lá fora está tudo cá dentro, nas gavetas secretas cujo o sentido sai-nos do coração.
Em certezas prometidas em 'para sempre' de verdade que os olhos, verdes de traição, fingem acreditar.
No céu mais azul que ontem, embalado no ex líbris da paixão que amanhã vamos devolver.
Não me venham falar!
Mordo os lábios! Cerro os dentes! Não há mais sangue nas artérias! Açúcar na ternura! Grandiosidade nas palavras!
Nao me venham falar disso!
Amor!
Não hoje que perdi os sentidos no sentido que não se fez tomar!

(Não quero saber!)


Mas quando souberes, diz-me!

7 comentários:

Pedro disse...

Hoje mordemos os lábios - cada qual os seus -, amanhã passas de ano e em Setembro vens descansar para as margens do Danúbio com uma garrafa de Pálinka ao lado, que tal?

soul_traces disse...

E porque é que alguém te haveria de falar de algo sobre o qual tu já disseste tudo:)?
Fantástico!
Beijo grande

Street Fighting Man disse...

ó minha menina: ou queres saber, ou não queres.
isto aqui não é à vontade do fregfuês ;)
é a vontade do comerciante hehe
**

the girl in the other room disse...

Desisti de definir o amor. Sente-se antes *

Utopic disse...

é, ás vezes simplesmente nao queremos saber do amor. mas estamos sempre la para um pormenor ou outro. acho que vai ser sempre assim, negar o inegável. devemos gostar destes paradoxos :) *

inocência perdida disse...

Não me venham falar de Amor...pelo menos não do Amor que une duas almas, se não é por via do sangue ou da amizade! O Amor não é só mais do que uma habituação, entre duas pessoas que se acomodam a viver uma com a outra e querem acreditar que não consegue viver doutra forma, porque assim é mais facil chegar a casa e não chorar...não me venham falar de Amor, porque não existe, não me venham falar de Amor, nem de justiça...
Adoro-te minha homonima*****Joana Mafalda

Anónimo disse...

Adoro a maior parte dos teus textos.. Sao fantasticos!

PARABENS!!