sexta-feira, março 09, 2007

Estou a ir ...


Não adianta saberes que dois metros à frente tens o poço e dois metros e meio depois cais! Não adianta especulares a mais verdadeira das certezas quando a seta te desvia do único sentido da pura sanidade. Não racionalizas sentimentos, não devolves emoções, canalizas cada uma das energias mais duvidosas dentro de ti baloiçando sempre numa corda bamba que te devolve a vida, mesmo se dois metros e meio à frente deixas de a ter.
O mundo corre-te de tal forma nas veias que não o libertas nem um segundo. A razão está adormecida algures - Talvez no lado esquerdo do coração - Enquanto o palpitar te possui monstruosamente à espera de te devolver os dias que há muito tempo atrás decidiste esquecer. Lá no fundo não esqueceste foi nada! Tudo continua a fervilhar em cada poro do teu rosto. Tudo te continua a puxar para cada mais meio metro junto do poço. E mesmo sabendo que vais cair, continuas a saltar de tic tac em tic tac achando ser esse o teu porto seguro. E é ali que te deixas ficar, nas mãos que te amaciam os cabelos, nos dedos que te devolvem a esperança, nas palavras que te confortaram enquanto o mundo desabava em menos de dois segundos, na mais furiosa das velocidades que não achaste ser possível esquecer. Mas há mãos que voltam a estar lá, sorrisos que te devolvem horas, palavras que te acalmam o gosto e te despertam os segredos.
A vida está quase a acabar, o poço quase a engolir-te, mas os teus pés fazem-se reinar na sua direcção. E podes cair, mas foste. E foste feliz!


Eu acho que tenho um poço destes .. mas estou a ir!

2 comentários:

Té § [Pi]menta =) disse...

gostei de te ver e de falar ctg.. :) q saudades q ja' tinha =')

adoro essas fotos e os teus textos, tem um "n sei quê" q eu amo! :D *** bjinho

El-Gee disse...

Vai!!