domingo, outubro 01, 2006

Palavras ..


Tinha apenas oito anos e naquele momento achei que não podia ser mais feliz. Hoje tenho mais doze e sei como cada ano valeu o que consigo achar agora.
[Espero daqui a doze estar contigo outra vez a achar o mesmo a cada ano que irá passar.]


- Se me deixas de ensinar, eu caio; se me deixas de acreditar eu páro; se me deixas de viver eu desacredito. Não é dependência, é relação. Talvez amor. Talvez paixão. És tu em nós, sou em ti. Nem quero saber mais o que é. É. E eu gosto. Como gosto da chuva lá fora a colar o amarelar das folhas ao chão.
Já te tinha dito que não gostava da chuva? Agora gosto. Gastei tanto os meus olhos presa a ti a olhá-la que passei a gostá-la. Já não consigo sentia-la (ainda que fosse só vê-la) sem lembrar tudo o que és. (Como poderia não gostar?!) -

- Prendes-me?! Só mais uma vez, enquanto o sol não brilha e eu aprendo a gostar do que não sabia gostar antes.
Não quero atingir a perfeição.Quero-te a ti num ruído ensurdecedor que desperta todos os sentidos no meu peito.
(Ainda sinto aquele frio glaciar quando fazias questão em não desviar os teus olhos dos meus e os teus passos da minha direcção) -


















Hoje preferi soltar as palavras. Sem lhes dar coerência. Deixei essa tarefa para ti como deixo cada parte do que sou.
Se és capaz de me dar sentido, então és capaz de escrever a mais bela história nas palavras de quem as diz, na alma que te pertence.
Hoje quis acreditar em principes encantados e cinderelas perdidas. Quis testar os compassos dos filmes e as falas caladas carregadas de palavras do sentido que lhes damos. Fechei os olhos com tanta força que quase te senti a abraçar-me ao perceberes o que estava a imaginar. Talvez tenhas imaginado mesmo.
E como qualquer sonhadora, idealizei o castelo, as luzes e as fadas. Tentei esquecer quanto tempo dura a juventude, talvez minuto e meio .. mas hoje .. hoje imortalizei o nosso conto em cada folha que caía.
Imagina-me deitada imaginando-te a ti.

3 comentários:

Té § [Pi]menta =) disse...

porra! como tu escreves bem!... :') "hoje imortalizei o nosso conto em cada folha que caía." LINDO! a simplicidade das tuas palavras são duma nobreza tal que consegues msm criar pedaços de obras primas! :)k tal juntares cada texto que escrevest ate agora e fazeres um livro? pensa nisso! :) * beiiijooo mon amour * txi adoorrooo *

luis filipe faria disse...

bem... realmente tens aki um "shakespere in blog" cm dixeste!!
ta mt fixe msm, tens um jeito incrivel para te expressares e da pa ver k cada palavra que escreves eh sentida :)
e concordo com a té: k tal escreveres um livro?

bjinhs**

S. disse...

Através dos olhos do amor, vemos a beleza do que antes nos desagradava ou deixava indiferentes. E damos por nós a pensar: como é que eu podia não gostar? Porque o amor é mesmo assim, a magia que desce sobre todas as coisas. E há um pedaço dela nas tuas palavras, iluminando os recantos de um sentimento, escrevendo o indescritível. Fazia falta um blog assim :)

Como podia eu não gostar? ;)
És maravilhosa.

Beijinhos