segunda-feira, maio 26, 2008

Chegar a ti

Acompanho cada dia, cada som, cada sabor, mas os ombros logo se descaiem e o cansaço pesa no corpo tal como o dia de amanhã. Sinto o pôr-do-sol, beijo o céu e espraio-me sobre a terra, mas o peito logo se esvazia e a felicidade desmembra-se pelos corredores da insatisfação.
Talvez não passe disso. Insatisfação!

Quero mudar o mundo e não apenas a minha rua.

Podia até escrever um livro sobre o teu cheiro. Ou mesmo sobre a tua pele. Podia dizer que o céu seria mais bonito se fosse da cor dos teus olhos, e olha que não minto.. mas quando finalmente me quero dar a conhecer-te, não reconheces a caligrafia onde és o que eu escrevo, e eu, o papel amarelecido, amarrotado de esperanças vazias e palavras esquecidas.

Sinto.. Saudade! De um querer mais que bem querer, («boa noite»), e da mesma companhia a ver um filme, dos dedos cruzados quando tudo faz sentido.. Mas quando os sentidos se invertem, o papel deixa-se igual, o ecrã sem mensagem e o filme sem ti.

Queria que me ouvisses o peito, tenho a certeza que todos o ouvem até do outro lado do mundo. Que me sentisses o pulsar mesmo quando estás longe e a vida quando estás perto. Ferve-me o sangue se não estás e dispara-me a alma quando chegas.
Desarruma-me as ideias!.. e recompõe-me os pedaços, porque o coração tambem cai, mesmo que não faça barulho na queda.

Posso até continuar a sentir o pôr-do-sol e a acompanhar cada sabor, a espraiar-me sobre a terra e a preencher-me nos dias, receber o mundo de sorriso bem rasgado e brindar-te com o melhor que há em mim (tu, do meu lado, pelo meu partido..), mas ter-te é sempre tão mais que te falar...

Contrastes!
Queria chegar-te ao coração... (de verdade!!!)

Tenho tanto p'ra dizer, tanto p'ra te contar, que a vida não chega..

12 comentários:

O Profeta disse...

Uma voz quebra o silêncio
Um espelho retêm a beleza
Vi com os olhos fechados
A fúria da minha incerteza

Fecham-se as janelas de poente
Este nevoeiro galga o pensamento
Uma semente solta num ribeiro
Corre no incerto de cada momento


Deixo-te uma doce acalmia


Mágico beijo

neix* disse...

Só consigo dizer uma coisa...
Lindissimo *

tahistis disse...

muda, o que realmente há para mudar.

beijinhos

Pedro Meneses disse...

prefiro mudar a "minha rua"...é lé que estão os meus amigos...as pessoas de quem realmente...na minha rua....se cada um mudar a sua rua....o mudo muda também....todos os pequenos gestos se somam num grande gesto....para percorrer uma grande distancia é preciso dar milhares de passos....

Pedro Meneses disse...

prefiro mudar a "minha rua"...é lé que estão os meus amigos...as pessoas de quem realmente...na minha rua....se cada um mudar a sua rua....o mudo muda também....todos os pequenos gestos se somam num grande gesto....para percorrer uma grande distancia é preciso dar milhares de passos....

bruxinha disse...

Minha querida,
que a saudade te faça correr o mundo em mudar todas as ruas que o compõem. Que essa insatisfação te faça continuar a 'falar' assim...bem direito ao coração. Ao teu. Ao dele. Ao de quem por aqui passa.
E a vida chega. Garanto-te. Basta compassá-la ao ritmo que queres:')
Está lindo. Mesmo. E essa imagem é qualquer coisa..Dá-me licença que a roube:p?

Um beijinho grande*

Carol Barcellos disse...

Amei teu "8 segundos". É o tempo suficiente para brotar lágrimas do coração enquanto leio tuas palavras! Venho aqui mais vezes, com certeza, gostei demais!!!
Cheguei aqui através do Ytmo, do "Mundos paralelos". Agora me pergunto: porque não vim antes?

Beijos doces cristalizados!!! :o*

P.S.: Eu também poderia escrever um livro sobre o perfume dele...

YTMO disse...

Já te tinha adicionado nos links do meu blog... Porquê? Por textos como este!

Bjs

marta. disse...

a vida nunca chega... :'$

beijinho

RNeiva disse...

Senti o que li...
Simplesmente marcante..
Beijo grande minha linda.. =)

disse...

Engraçado... nao deixa de ser curioso. Tentei por ca para fora o que sentia, nao escrevi muito.. faltou-me a inspiraçao! Depois vim fazer a minha "ronda" aos blogs e dou me com este teu post... que nao podia estar mais perto do que queria dizer e nao disse.

Escreves muito bem!! Vou fazer quote, se nao te importates...com os respectivos créditos :)

Fica sempre tanto por dizer...

Saroka disse...

Um texto leve como as cordas de um violino.
Continua!*