sábado, novembro 10, 2007

Desejo voltar, voltar a ti, desejo te encontrar

Procuro em todo o lado a música que não me sai da cabeça. No estalar dos dedos, nos passos perdidos, no palpitar do coração.
Procuro as formas ilustres onde adormecemos os nossos desgotos sentidos. Nos meus braços que pedem os teus, nas minhas ancas que dançam pelas tuas, nos meus lábios que soltam o teu nome.

Gostava que me lesses e desvendasses o sentido do que digo! Perdoa-me a ousadia de te escrever, as minhas palavras são para ti, mas não sei quando as direi de novo...

Deixo-me emergir quando a lassidão dos meus passos rende-se à força do nosso orgulho!
Vê: todos os meus defeitos, um a um, de forma automática penalizando a história que começava a ser escrita..

Queria pensar que estarias aí quando caísse!
Queria ainda mais poder-te agarrar antes de cair!

Tambem tu cais e eu não te sei dar a mão!
Desculpa!
Mas os meus olhos, esses, estarão sempre abertos para te contemplar.
Juro!
Fecharei a porta! Ouvirás os vidros, rasgarei os pés, cortaremos os pulsos, mas o sangue esvaiar-se-à entre o céu e a terra, onde estás, lugar e pessoa de todas as minhas coisas.

Promete...
Dava o tempo para que me prometesses que as tuas sílabas tambem são minhas..

Tenho mil forças pucharem-me para fora. Outras mil, presas a ti.
Dá-me uma, e eu fico!

Hoje nem o cheiro anestesia os sons estridentes que me ecoam nos ouvidos. As angústias adormecem-me a alma e acordam o corpo, dói!

Queria ficar contigo ... não sei porque ainda não to disse!

Amanhã, abraça-me!

5 comentários:

E.D.D. disse...

Todos caímos vezes sem conta
Todos caímos... de uma maneira ou outra
Uns cortam os pés e desaparecem na sua vergonha,
Outros dão a vida porque esta os afronta
Entre esses há 'a' que fala e 'a' que fica calada
Os que dizem tudo sem pensar
E os que por demais pensar não dizem nada...


perdoa-me este pequeno devaneio, mas tua bela escrita inspirou-me a escrever algo (que n chega perto do quão bom este teu post foi, mas enfim...). *

Anónimo disse...

para que perder tempo em devaneios e orgulhos sem sentido...o que se quer fazer deve ser feito e o que se sente deve ser dito...muitos falam da sinceridade e frontalidade, mas esses mesmo nao têm a humildade suficiente para se revelarem...talvez seja isso ser humano...nao sei bem
P.M.

bruxinha disse...

gostei tanto menina que até fiquei assim meia que sem palavras. a sério. está lindo. profundo. sentido. de apertar o coração.
Perfeitinho como sempre:)*

E tu, fala sempre. Nem que seja com o coração como aqui:)*
Beijo grande*

Sandro disse...

Não sei porque é que ele precisa que o digas... devia conseguir senti-lo...

Beijo

Lau disse...

conheço esse título de qualquer lugar...ou de qualquer carro...o sentimento também o conheço bem, mas meu doce...bora contra a parede, se bater bateu! mas a caminhada sabe bem demais! Não percas tempo, o tempo corre...**