quarta-feira, outubro 11, 2006

Coração de plasticina


[Só pra dizer que te amo nem sempre encontro o melhor termo, nem sempre escolho o melhor modo. Devia ser como no cinema a língua inglesa fica sempre bem e não atraiçoa ninguem.]


Gostava de ter um coração de plasticina, que se moldasse às situações que me inundam de sentimento. Ninguem me mandou ser uma Maria Madalena, mas não consigo disfarçar o mel pela pedra e por isso gostava de ter um coração de plasticina.
Às vezes ele doi, e como doi. Arde tanto, mas tanto mesmo que boiam em mim todas as coisas feias que nem no dicionário se encontram. E assim continua a doer e a cansar-me os olhos que já tão pouco conseguem ver para alem de ti.
Depois fecho os olhos. Espero de novo o calor entre os fios de cabelo que me arrastas, com o sorriso de menina que dizes te encantar.
'está tudo bem' murmuras-me ao ouvido como quem me aquece de novo o coração e não quer mais ser de plasticina.

4 comentários:

Português Suave disse...

Um coração de plasticina acaba, sempre, por 'derreter' a altas temperaturas e existem situações que se adivinham extremamente quentes. É bem melhor teres um assim, nada artificial.
Clã é sempre bonito, e Problema de Expressão ainda melhor.
Gostei*

Rita/Jamila disse...

Clarinha fica com o teu coraçãozinho que ficas muito bem.. ;)

Como tu dizes, para quê um "coração de plasticina?"

O teu fica te tão bem...=p

(beijinho)

Té § [Pi]menta =) disse...

às vezes tb keria ter um coração d plasticina!
tou sem inspiração pra comentar, cansada e cheia d dores nos pes! mas gostei mt do teu texto, e a musica é deveras mt bonita!^:) bjokaaaaa***********

Murmúrio Histérico disse...

Corações de plasticina têm a vantagem de nunca ficarem deformados, por muitas contrariedades que atravessem. Queria ter um desses, nessas alturas :| *